Ana Sá Lopes

Parabéns Maradona Macedo

Agora vejo a correr nas notícias que o Maradona estava deprimido, que foi internado e operado. Correu tudo bem, parece, a mão de Deus funciona com ele.

Estou a lembrar-me do Maradona porque a primeira conversa que tive contigo, António, há mais de 30 anos, foi sobre o argentino. Ele vinha a Lisboa, mandaram-me ir ao futebol – e eu basicamente não percebia nada nem de futebol nem de Maradona e estava metida num embrulho. Foste tu quem me ajudou, quem me explicou as coisas, com uma doçura que me comoveu, naquele edifício maravilhoso da avenida da Liberdade onde nos cruzámos pela primeira vez.

Na verdade, era um Maradona a falar de outro Maradona. Também sempre houve a mão de Deus na maneira como nos acordavas de manhã. O nosso Maradona da rádio, a tua voz a fazer passes divinais nas ondas.

Agora fazes 70 anos e isso é só um caraças de um número. Na minha cabeça e na tua tens 30 e tal, a gente sabe. Eu sou um bocado mais nova, tenho 20 e poucos. Quando o sacana do covid marchar daqui – e ele vai acabar, mais dia menos dia, é aguentar – vamos beber juntos à tua. Agora vai ter que ser separados. Daqui do meu canto, eu bebo à tua saúde e felicidade. Um beijo enorme António. Da Ana